Dia do Perdão

Tempo de leitura: 3 minutos

Yom Kippur

O dia mais sagrado do ano.

Jejum e expiação, solenidade e alegria.

O que: Yom Kippur é o dia mais sagrado do ano para os judeus, quando estamos mais próximos de Deus e da essência de nossas almas. Yom Kippur significa “Dia da Expiação”, como afirma o versículo em Levítico 16:30,31:

Porque naquele dia se fará expiação por vós, para purificar-vos; e sereis purificados de todos os vossos pecados perante o Senhor.É um sábado de descanso para vós, e afligireis as vossas almas; isto é estatuto perpétuo.”

Quando: O décimo dia de Tishrei (em 2017 alguns minutos antes do pôr-do-sol em 29 de setembro até o anoitecer de 30 de setembro), chegando ao fim de Rosh Hashaná (o Ano Novo judaico, que é no primeiro e segundo dias de Tishrei).

Como: por quase 26 horas “afligimos nossas almas”: abstendo-se de comida e bebida, sem banho ou loções ou cremes, não usar calçado de couro e abstendo-se das relações conjugais. Em vez disso, passando o dia na sinagoga, orando por perdão.

História

Poucos meses depois que o povo de Israel deixou o Egito, eles pecaram adorando um bezerro de ouro. Moisés subiu ao Monte Sinai e orou para que Deus os perdoasse. Após dois períodos de 40 dias na montanha, obteve-se o favor Divino. O dia em que Moisés desceu a montanha (o 10º dia de Tishrei) deveria ser conhecido para sempre como o Dia da Expiação – Yom Kippur.

Naquele ano, as pessoas construíram o Tabernáculo. O Tabernáculo era um local sagrado para orações e ofertas de sacrifício. O serviço no Tabernáculo culminou em Yom Kippur, quando o Sumo Sacerdote(com roupas de ouro ornamentado e vestes de linho) realizava um ritual sagrado. Os destaques deste ritual incluíam ofertas de incenso no Santo dos Santos (onde a arca da aliança estava abrigada) com um novilho, para expiação do pecado, e um carneiro para o holocausto – um dos quais era para o sacrifício e o outro enviado para o deserto.

Esta prática continuou por centenas de anos, durante todo o período do primeiro Templo em Jerusalém, que foi construído por Salomão, e o segundo Templo, que foi construído por Esdras.

Quando o segundo Templo foi destruído em 70 d.C., as festividades do Yom Kippur continuaram. Em vez de um Sumo Sacerdote trazendo os sacrifícios em Jerusalém, todo judeu executa os rituais de Yom Kippur no templo de seu coração.

Se passa o dia inteiro na sinagoga, onde se realiza cinco orações:

  • Maariv – oração da véspera de Yom Kippur;
  • Shacharit – a oração da manhã, que inclui uma leitura de Levítico
  • Musaf – detalhes do Yom Kippur ;
  • Minchah – que inclui a leitura do Livro de Jonas ;
  • Neilah – o momento de  “fechar os portões” ao pôr-do-sol, seguido do toque do shofar,  marcando o fim do jejum.

Além de ações específicas, Yom Kippur é dedicado a introspecção e  orações para o perdão. Ao anoitecer, o serviço de encerramento de Neilah termina com os gritos retumbantes da oração de Shema: “Ouça a Israel: Deus é nosso Senhor e único Deus.” Então a congregação entra em uma euforia e cantam e dançam alegremente após um única toque do shofar, seguido da proclamação, “Ano que vem em Jerusalém”.

Yom Kippur (1)

BAIXAR FREE (222 downloads)

2 Comentários

  1. Antonio Rosa de Oliveira Filho

    CARÍSSIMOS IRMÃOS…
    AGRADEÇO À DEUS PAI…
    POR ESSE MOMENTO.
    QUE OS ENCONTREI…

    Responder
    1. educafe

      Caro Antonio, nos emocionamos com o seu comentário. Só nos estimula a continuar fazendo cada vez melhor. Deus o abençoe!
      Grande Abraço
      Equipe Educafé.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *